Foto: Pixabay

Desafio no Corcovado: faltam só 200 metros

Redação Webventure/ Montanhismo

Rio de Janeiro – Faltam 200 metros para os escaladores Alexandre Fitaroni e Hildson
Santana vencerem os cerca de 500 metros da face sul do Corcovado, no Rio. Apesar da
temperatura agradável, da constante neblina em torno da montanha, o dia de ontem
(31/03) não foi dos mais calmos. Os grandes inimigos passaram a ser os marimbondos
que habitam as fendas na rocha. Fitaroni, que guiava a escalada de ontem, chegou a ser
picado por um deles – felizmente a picada não infeccionou.

Vencidos os 300 metros iniciais da parede, vem agora a parte mais árdua. “Vamos ter
que enfrentar uma parte da escalada em negativo, deve ser o ponto mais difícil de toda a
via”, explicou Hildson, falando de seu portaledge por telefone celular, hoje cedo. “A vista
daqui de cima é maravilhosa. Muito silêncio, a gente só escuta de vez enquando o
barulho das ambulâncias”, contou.

Hildson passou a noite na pedra do Corcovado, a 300 metros de altitude e disse ter sido
uma noite tranqüila, apesar da chuva e do vento. Alexandre desceu para recarregar as
baterias dos equipamentos e não conseguiu retornar a tempo de pernoitar na rocha. A
partir de hoje os dois terão de redobrar a atenção no uso dos equipamentos. As descidas
para recarregar as baterias do telefone, rádios e da furadeira de impacto serão menos
freqüentes.

A frente fria que estava sobre o Rio ontem já se dissipou, o que deve garantir dias
tranqüilos aos alpinistas. Por isso a previsão de chegada ao Cristo Redentor, no alto do
Corcovado, ainda é no Domingo de Páscoa. No final da escalada, Alexandre e Hildson
irão abrir uma faixa sobre o paredão escalado com um apelo pelo fim da violência na
cidade.

Este texto foi escrito por: Gustavo Mansur

Last modified: abril 1, 1999

Redação Webventure
Redação Webventure