Foto: Pixabay

Marcas apresentam novidades do mountain bike para 2011

Redação Webventure/ Biking

Grupo da Sram 2X10 (foto: Divulgação)
Grupo da Sram 2X10 (foto: Divulgação)

Novos designs, formatos e materiais. As empresas voltadas para equipamentos e bicicleta de mountain bike aproveitaram a Bike Expo Brasil, realizada entre em São Paulo, para apresentar os novos modelos e apostas para o próximo ano. Muito aerodinamismo e apostas em novas linhas fazem o consumidor ter opção de escolha. Confira as novidades que o Webventure selecionou.

Specialized – Para 2011, a marca aposta na linha S-Works, novidade nas bicicletas Epic Aro 29 com 9,6 kg, uma das mais leves do mercado. Com as bikes maiores, a facilidade em transpor obstáculos é grande, além do controle imediato sobre a bicicleta; além de possuir um centro de gravidade mais baixo, comparada a uma bike Aro 26. Com o crescimento das rodas em 1,5 polegadas, a bike Aro 29 manteve o tamanho e ficou apenas 1 centímetro maior que uma Aro 26, o que facilita o biker a realizar manobras. E a grande mudança para os competidores foi a distância do cubo ao raio das rodas, que passou de 135mm (padrão) para 143mm, que equivale a uma pirâmide de base maior, melhorando a estabilidade.

A Integração Total da Suspensão (TSI) permite muitos benefícios durante a pedalada, como rigidez, peso, dureza das molas, curvas de amortecimento, entre outros. O ajuste fino da marca ajuda a harmonia no funcionamento entre bike e ciclista. Um exemplo é a Tecnologia Brain, encontrada em garfos e amortecedores da Specialized, que faz o amortecedor, por exemplo, diferencie as forças que vem de quem pedala e do solo, alterando o funcionamento.

Para as mulheres, os modelos Safire e Myka contam com um design diferenciado no Top Tube, um corte e um formato arredondado facilitam a entrada/ saída da bike, além de alterar o centro de gravidade. A suspensão 120mm rebaixada ajuda no conforto e aproveitamento em trilhas mais complexas, e o sistema FSR, também de suspensão, ajuda a gastar menos energia em subidas e, nas descidas, mais tração para deixar a biker confiante. O sistema anula as influências da transmissão e frenagem sobre a suspensão, acabando com as oscilações na pedalada.

Merida – Levando em consideração o custo-benefício, a Merida aposta em uma linha de bicicletas que vai do iniciante ao atleta profissional do mountain bike. As bikes Matts apresentam todas as configurações básicas para quem quer começar a pedalar em trilhas e também para os que já estão um pouco mais acostumados. A linha leva o nome por conta das soldas robotizadas, que mantém o padrão e proporciona um ganho de resistência e durabilidade do quadro em torno de 12%.

Com opções de freios V-Break e a disco, além de regulagem de suspensão um novo design. Os modelos 10V e 20V custam em torno de R$ 1.699,00. Um dos lançamentos da marca é a linha TFS, com freios hidráulicos, suspensão Shimano, travas no guidão. Os custos variam de R$ 2.899 a R$ 3.650. As bikes contam com um dispositivo chamado Lock-Out, que travam a suspensão dianteira e/ou traseira, para facilitar a pedalada dependendo do terreno. O quadro também conta com um diferencial, utilizando várias operações de pressão mecânica que produzem tubos com ligas de alumínio Racelite 6061.

As linhas Ninety-Six e O.Nine, lançadas este ano, se destacam por ser uma das mais leves do mercado para competição, com 9 e 8,6 kg, respectivamente. E para 2011, a Merida mantém as duas bikes no mercado com algumas alterações. A Ninety-Six Carbon XXD é recomendada para os praticantes de prova endurance e corrida de aventura, que passam muito tempo sobre a bike e necessitam de conforto e full suspension. As tecnologias destacadas nessa bike são a Egg-Shape Headtube, que otimizam a rigidez; uso de partículas nano na matrix para melhorar em 40% a resistência contra impactos, entre outros.

Levorin – A marca de pneus realizou lançamentos no Salão Duas Rodas e trouxe para a Bike Expo a linha Prime, com o pneu Conquest para o MTB. A marca levou o pneu para os atletas da Copa Internacional de Mountain Bike em 2010 e conta com uma estrutura de construção diferenciada. O Conquest XC 50-599 (tamanho em mm) é feito com fibra sintética (kevlar) e talão de aramida, que deixa o pneu mais leve, dobrável e resistente. É o primeiro pneu fabricado no Brasil nestas configurações e que atende muitos atletas profissionais. O diferencial agora são as cores nos pneus, dentre elas azul, vermelho, laranja, amarelo e branco; tanto para os adultos como para as crianças. Além do Conquest, a Levorin conta com uma linha completa para o mountain bike, com grips diferenciados para cada tipo de terreno: Excess EX, Atacama, Terral, Nepal, Gripa, Moad, Spider, Venture e Tomahawk.

Pirelli – Com tradição de 130 anos na fabricação de pneus, a marca quer conquistar o segmento das bicicletas e lança novos tipos de pneus e câmaras de ar para o público em geral. Nos dias de hoje, a marca dispõe de quatro modelos voltados para o mountain bike, todos para trilhas entre leve e moderada; são elas BM85, o modelo mais antigo e Hunter Pro, Scorpion 90 e Scorpion A/T, as mais novas.

O Scorpion 90 é o modelo que mais trás variedade em relação ao tamanho dos pneus, totalizando 3 diferentes: 47-559mm, 47-507mm e 60-559. O Hunter Pro, apesar de apenas um tamanho, é ideal para quem encara muitas subidas em trilhas, por conta de sua tração forte e grip. Para 2011, a Pirelli afirma que terão novas modelos para os praticantes.

Sram – O destaque da Sram para 2011 é a tecnologia 2X10, sistema de transmissão com 2 coroas e 10 pinhões que prioriza o conforto e o desempenho durante as trilhas. É o conjunto mais leve do mercado, com 2,3kg e o que permite a passagem de marchas mais rápidas e macias em todo o tipo de terreno. O sistema está disponível nos grupos X7, X9, XX e X0, que são formados por câmbio traseiro, dianteiro, passadores tipo gatilho, pedivela, freios a disco hidráulicos, cassete, correntes e cubos.

Para a troca de marchas ‘perfeita’, o sistema usa duas coroas que movem a linha da corrente. O biker tem a opção de usar a coroa maior por mais vezes para ganhar mais velocidade e fluidez, além de evitar a troca constante de marchas sem precisar alterar o ritmo. O sistema usa a marcha correta com a melhor proporção e tem uma grande variedade de marchas. Os cassetes da marca garantem 10 velocidades, com tecnologia PowerGlide que permite trocas de marchas eficientes, assim como o desenho da aranha nas catracas maiores, que deixam mais leve e forte.

Shimano – Voltada para os atletas e iniciantes do mountain bike, a Shimano lança um novo projeto do grupo XTR para atender diferentes necessidades. E o grande destaque da marca nesse projeto é o sistema de transmissão de 10 velocidades para o mountain bike, o Dyna-Sys, que tem o objetivo de colocar harmonia na pedalada, otimizando o processo.

Entre os destaques ficam a troca de marcha, que permite mudanças sem trancos, e isso é possível com a coroa de 32 dentes, usando tração total e tirando o máximo das suspensões traseiras. A mudança da Coria 24 para a 32 é mais fácil e intuitiva. Em relação às marchas, a corrente assimétrica e as marchas CloseStep proporcionam um salto menor entre uma troca e outra.

As correntes também contam com mudanças: 10 velocidades e direcional o lado direito da corrente para trocas de marchas dianteiras e lado esquerdo para a traseira garantindo boa performance até mesmo na lama. O trocador de marcha tem um acionamento mais leve, que faz o biker se preocupar menos com a mudança; o câmbio traseiro e o cassete garantem a performance consistente. O pedivela triplo é o destaque do sistema, com a coroa do intermediária, de 32 dentes, feita de titânio e carbono, enquanto as outras coroas possuem 42 e 24 dentes, que saltam menos durante a troca de marchas. Para os calçados, a Shimano aposta no sistema Custom-Fit, que ao ser aquecido e colocado a vácuo, garante a forma do pé do ciclista.

Este texto foi escrito por: Bruna Didario

Last modified: novembro 5, 2010

Redação Webventure
Redação Webventure