Dubai: uma viagem ao país mais extravagante do mundo

A primeira impressão que os visitantes têm antes de chegarem a Dubai é de uma cidade movida a grandes obras e até um pouco fria, mas não se engane. Dubai tem mais de 80% da população formada por estrangeiros que, junto aos locais, recebem muito bem turistas de todo o mundo. A cidade tem atrações excelentes que vão além das grandiosas ilhas artificiais ou de hotéis de luxo, como o Burj Al Arab. E, acredite, várias delas têm preços camaradas ou até mesmo acesso gratuito. Tenha certeza de que Dubai cabe em todos os bolsos e orçamentos.

A arquiteta Nathalia de Melo visitou o país em 2008 e lembra-se da viagem como se fosse ontem. “É inesquecível, diferente de qualquer outra cidade, é única”, diz. O fato de sua expansão, se iniciar somente em 1950 a torna uma cidade jovem. Onde antes era deserto, atualmente está um centro cosmopolita, cheio de prédios, atividades para fazer, lugares para conhecer, encontrar cultura e tradições mantidas ao longo dos anos.

Foto: Nathalia de Melo/Arquivo Pessoal

Aquário que você pode visitar dentro de um dos shoppings da cidade Foto: Nathalia de Melo/Arquivo Pessoal

Dubai é uma cidade de negócios, com prédio altos e imponentes e saber explorar bem o turismo é essencial. Passeios em 4×4 nas areias do deserto, esqui dentro de um shopping, aquários enormes, como tudo em Dubai, hotéis sete estrelas, praias, passeios de camelos e jantares com dança típicas são algumas das muitas incríveis atrações. “O passeio no ônibus aberto e os olhares sempre para cima, admirando os  arranha-céus típicos de Dubai vale a pena”, lembra Nathalia.

Os shoppings de Dubai são mais que um passeio simples. É possível encontrara a maior maior pista indoor do mundo: “ótima para levar alguns tombos na neve, bem no meio do deserto”, brinca. É em um shopping também que está um enorme aquário, onde se pode ver os peixes por dentro de um túnel.

Participe do Circuito Rios e Ruas Caixa 2017 – Parque Zoológico + Jardim Botânico. Clique aqui e inscreva-se!

O passeio de 4×4 leva os participantes para dentro do deserto. “As paisagens são encantadoras e ao final indico passear de camelo e jantar comidas típicas assistindo dança do ventre, fechando a noite com o céu estrelado do deserto”, conta a arquiteta. O passeio pelo mercado do ouro é interessante e a vontade de levar uma lembrança é grande. “Se tiver dinheiro vale a pena, os árabes gostam de negociar, então se começar uma negociação por preço, só deixarão você sair de lá, quando comprar”, alerta.

Passeio de camelo no deserto Foto: Nathalia de Melo/Aquivo Pessoal

Passeio de camelo no deserto Foto: Nathalia de Melo/Aquivo Pessoal

Você também pode conhecer a parte antiga de Dubai. De um lado prédios modernos, cheios de tecnologia e do outro, como no bairro Al Bastakiya, muita cultura, com casas históricas, cafés e lojas locais, um passeio para entender a história de Dubai.

“Tive a oportunidade de comer no Burj Al Arab Jumeirah, um hotel em forma de vela, construído em cima de uma ilha artificial. Reservei com antecedência e pude conhecer um dos hotéis mais luxuosos do mundo por dentro. Com certeza foi uma experiência única, fascinante. Fomos recebidos com tâmaras, fruta típica do país, que oferecem em sinal de boas vindas”, lembra Nathalia. O restaurante fica no último andar, em um mirante que dá para ver toda a cidade e a imensidão de areia que a cerca.

“Outro ponto em que se pode ter uma vista panorâmica é o Burj Kalifa, o prédio mais alto do mundo, que oferece uma visita até o topo do seus 160 andares. Para quem não tem medo de altura, com certeza é um lugar para se visitar. Apesar de ser uma cidade nos Emirados Árabes, de maioria muçulmana, visitei Dubai no natal e por ser uma cidade globalizada, 80% da população é estrangeira, vi muita decoração de natal por todos os lados”.

Burj Kalifa, o maior prédio do mundo Foto: beatrice prève/fotolia

Burj Kalifa, o maior prédio do mundo Foto: beatrice prève/fotolia

“As leis muçulmanas devem ser respeitadas. É proibido beber álcool, mas nós turistas, somos liberados para tomar uma cervejinha dentro de restaurantes e hotéis. Porém, nada de andar com bebidas alcoólicas na rua”, lembra. Os trajes locais também devem ser respeitados, você não precisa andar de burca, mas roupas curtas não são bem aceitas e demostrar afeto em público é visto como ofensa, podendo resultar em prisão.

Dubai é tudo isso e mais um pouco. Onde o antigo e o novo se encontram o tempo todo, a cultura muçulmana anda junto com a mundial, pois lá estão pessoas do mundo todo. Ela é fascinante, encantadora e única, uma viagem para lá é um investimento que vale a pena”, completa a arquiteta.

Last modified: maio 12, 2019

Gabriel Gameiro
Gabriel Gameiro
Estudante de jornalismo, que caiu no mundo dos esportes por acidente e com o tempo aprendeu a amar. Gosta do que faz e apesar de ainda não ser um corredor ama fazer spinning e cobrir corridas.