Foto: Pixabay

MUSA: conheça o museu do fundo do mar caribenho

Foto: Diculgação Foto: Diculgação

Não são apenas galerias e museus convencionais que abrigam obras de arte, é possível encontrar por aí diversos museus exóticos, inclusive no fundo do mar. O mundo aquático pode oferecer belezas muito além de sua vida marinha, até mesmo as feitas pelo homem, esse é o caso do MUSA (Museo Subacuatico de Arte) na Baía de Moilinere, no México.

O local, ainda não muito explorado, foi criado em 2006 e abriga mais de 500 esculturas em tamanho real. O número de obras aumenta a cada ano e o melhor de tudo: sem prejuízo ao meio ambiente. Isso porque foi pensado para servir como recifes artificiais para habitação da vida marinha local.

A ideia do primeiro museu marinho do mundo foi do escultor e fotógrafo submarino Jason de Caires Taylor, que o projetou para deixar um legado ao ecossistema. O material das esculturas possui pH neutro em relação à água do mar, além de ser mais resistente ao ambiente. Com o tempo e o processo natural sobre as obras, que são feitas de concreto ecológico, elas tornam-se abrigo de corais e peixes, e só ficam completas: com a ação tanto do homem quanto da natureza.

Para visitar o MUSA o passeio deve ser feito por meio de barcos que possuem o fundo de vidro ou, a opção mais tradicional dos turistas, mergulho. São cerca de 750 mil visitas por ano.

O Museu, hoje, recebe esculturas de outros artistas e por isso está sempre em construção, a cada ano mais obras são colocadas no fundo do mar caribenho, uma mais impressionante que a outra.

Ficou com vontade de explorar o local? Dá uma olhada nessas fotos de tirar o fôlego:

Foto: Divulgação Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação

Este texto foi escrito por: Carolina Abrantes

Last modified: julho 17, 2017

Arquivo