Foto: Pixabay

UTVs – Surpreendente, Mota/Shimuk garante o título

Arquivo/ Offroad, Sertoes

Vinícius Mota e Rafael Shimuk conquistaram o título apostando na regularidade. Foto: Victor Eleuterio/Webventure Vinícius Mota e Rafael Shimuk conquistaram o título apostando na regularidade. Foto: Victor Eleuterio/Webventure

Com informações de Isabela Rios, direto de Belo Horizonte (MG)

Foram oito dias no total: o prólogo e mais sete especiais e deslocamentos. Foram cerca de 2.600 quilômetros da cidade de Goiânia, capital de Goiás, até a capital mineira, Belo Horizonte. Uma disputa muito intensa entre os pilotos de UTVs (os Utility Task Vehicle), na sigla em inglês, marcou uma das mais surpreendentes vitórias do Rally dos Sertões em sua 22ª edição, quem sabe da história da competição. A última etapa, realizada neste sábado (30), foi saiu de Diamantina, em Minas, com grande vantagem para a dupla André Sawaya/Eduardo Costa (S2 Rally/Bike Box). Eram cerca de 34 minutos de vantagem. Eram.

Um problema na homocinética do veículo, próximo do quilômetro 140 da especial, tirou a dupla que liderava, com folga, a geral entre os UTVs. Sawaya e Costa, portanto, forfetaram (não completaram a especial no tempo limite). Era de se imaginar que o título poderia cair no colo de Zé Hélio/Edmilson Camargo, por exemplo, que venceu quatro das sete etapas, a de hoje inclusa. Mas não. A dupla da Polaris Racing também já havia forfetado, mas na quinta etapa do rally. Também estava fora da briga pelo título.

O segredo, então, não poderia ser vitórias. Talvez os campeões do Rally dos Sertões 2014 entre os UTV possam explicar. “A emoção de ganhar um Sertões é muito grande. São dias difíceis, com especiais muito difíceis. Graças a Deus conseguimos completar todas as etapas e conseguimos conquistar o resultado. Estou muito feliz”, comemora, Vinícius Mota. “No UTV, você tem que ter um equilíbrio, você pode quebrar, mas nunca forfetar. Eu tive problemas no primeiro e no terceiro dia, mas completamos em todos. O UTV é uma categoria nova. É preciso ter estratégia, se você forçar muito ele quebra. O segredo é acelera, mas poupar”, expõe o piloto da Taguatur Racing que terminou a competição com o tempo total de 22h27min12.

Henrique Gutierrez/Weidner Moreira terminou como vice-campeão geral do rally. Foto: Gustavo Epifanio/Webventure Henrique Gutierrez/Weidner Moreira terminou como vice-campeão geral do rally. Foto: Gustavo Epifanio/Webventure

O navegador Shimuk também festeja, mas reconhece a surpresa da vitória. “No ano passado, eu fiz o Sertões Series e fui campeão. Esse ano eu vim com o Vinícius e nosso objetivo era completar. Depois mudamos para completar entre os dez, depois assumimos a quinta e queríamos o pódio. Fomos comendo pelas beiradas, achamos que não seríamos campeões. O Sawaya deu o azar de quebrar hoje e nós completamos”, diz. “A navegação desse ano foi perfeita. Todos os dias a planilha estava 100%. Parabenizo o Edu Sachs, que é um grande diretor de prova. Todos os perigos e referências estavam na planilha. Acho que a especial mais marcante foi a maratona, que conseguimos completar sem quebrar o carro e fez com que a gente ganhasse mais condições no rally”, finaliza Rafael.

Zé Hélio, vencedor da última etapa e décimo colocado no acumulado, lamenta a quebra que tirou a chance de vitória do rally. “Gostei muito da competição. Adorei a nova configuração da prova. Infelizmente a vitória me escorreu pelos dedos. Eu fui o maior vencedor de etapas, mas isso não conta nada. Conta quem ganha a prova. E por causa de um defeitinho mínimo em uma das etapas eu fiquei sem a vitória. Mas podemos brigar pela vitória no ano que vem. Estarei aqui de novo”, promete o piloto. Carlos Ambrósio/Cadu Sachs, da equipe Podium fechou o dia na segunda colocação, seguidos por Fabio Campo/Sergio Avallone (Sacramento Racing).

Cascão e Claudia também adotaram a estratégia da regularidade e terminaram na terceira posição no geral. Foto: Ricardo Leizer/Webventure Cascão e Claudia também adotaram a estratégia da regularidade e terminaram na terceira posição no geral. Foto: Ricardo Leizer/Webventure

Henrique Gutierrez/Weidner Moreira (Podium) ficaram na segunda colocação no geral, com 22min08 atrás de Mota/Shimuk. Chegando na sexta colocação da etapa, a dupla Edson Cascão/Claudia Grandi, eram dos mais felizes por serem confirmados como terceiros colocados no resultado acumulado, e confirmaram a estratégia da regularidade. “Administrei mesmo. A ideia foi essa. E foi o que a gente fez. Eu sabia que furar um pneu, por exemplo, já poderia deixar o competidor lá pra trás. Não podemos furar pneu, nem quebrar nada. Tinha que ser uma prova redonda”, explica Cascão. A navegadora Claudia concorda: “Acabei de saber que conquistamos o terceiro lugar. Estou muito feliz! Para correr no Rally dos Sertões tem que ter velocidade, claro, mas tem que ter cabeça também”, garante.

Confira os melhores colocados na sétima etapa e no resultado acumulado nos UTVs:

UTVs – 7ª Etapa
1. #202 JOSE HELIO/EDMILSON CAMARGO (POLARIS RACING) 01h52min11s
2. #204 CALOS AMBROSIO/CADU SACHS (PODIUM) 01h56min17s
3. #205 FABIO CAMPOS/SERGIO AVALLONE (SACRAMENTO RACING) 01h57min16s
4. #213 VINÍCIUS MOTA/RAFAEL SHIMUK (TAGUATUR RACING) 02h01min054s
5. #208 LEANDRO TORRES/IDALI RODRIGUES FILHO (XTREME PLUS / TORRES RACING) 02h03min22s

UTVs Acumulado
1. #213 VINÍCIUS MOTA/RAFAEL SHIMUK (TAGUATUR RACING) 22h27min12s
2. #218 HENRIQUE GUTIERREZ/ WEIDNER MOREIRA (PODIUM) 22h49min20s
3. #211 ELSON CASCAO II/CLAUDIA GRANDI (KANDANGUS RALLY TEAM) 23h06min24s
4. #208 LEANDRO TORRES/IDALI RODRIGUES FILHO (XTREME PLUS / TORRES RACING) 23h35min52s
5. #219 GUSTAVO LAPERTOSA/MARCELLO BRANDÃO (LAPERTOSA MOTORSPORTS) 26h40min53s

Este texto foi escrito por: Marcos Souza

Last modified: agosto 30, 2014

Arquivo