Foto: Pixabay

Tipos e características de uma barraca

Algumas barracas de três e quatro lugares são leves o suficiente podendo ser carregada por duas pessoas que desejem bastante luxo e conforto. (foto: André Pascowitch)
Algumas barracas de três e quatro lugares são leves o suficiente podendo ser carregada por duas pessoas que desejem bastante luxo e conforto. (foto: André Pascowitch)

A escolha de uma barraca depende da sua preferência e dos seus planos de uso. A barraca será usada somente no verão, ou em três ou quatro estações do ano? Acampará acima ou abaixo da linha de florestas? Somente para o seu uso ou para dois, três ou quatro pessoas? Você é do estilo luxuoso ou do simples despojado? Quanto peso você está disposto a carregar? Quanto dinheiro você tem para gastar?

Os fabricantes oferecem quase toda combinação de tamanho, peso e modelo. A escolha é sua, depois de consultar catálogos, lojas, seus amigos e vizinhos de acampamento. Porém, há alguns fatores que devem ser levados em conta na hora de adquirir uma barraca. São eles:

Resistência à água – As barracas são construídas com paredes duplas ou simples, de material impermeável ou transpirante. Uma unidade completamente fechada deve ser bem ventilada a preferencialmente deve “respirar”. Se a barraca é à prova d’água, a umidade que você exala condensa sobre as paredes frias e escorre para baixo formando poças no chão. Em uma só noite, você e seus companheiros de barraca podem expelir vapor d’água suficiente para encharcar os sacos de dormir.

Cuidado com barracas baratas de uma só camada de material que não “respira” e impermeável. Elas só são boas em condições suaves abaixo da linha de vegetação, onde a porta e as janelas podem ser deixadas abertas para ventilação; mesmo assim você pode esperar alguma condensação. Algumas barracas sem sobre-teto possuem um modelo que aproveita a gravidade para espalhar e remover a condensação, mas para funcionar a barraca precisa estar bem ventilada.

O dilema entre uma barraca transpirante e ainda impermeável resolve-se usando paredes duplas ou sobre-teto. A parede interna é transpirante, não é à prova d’água, então ela permite que sua respiração e transpiração passem para o lado de fora. A camada externa é impermeável, geralmente separada, que mantém a chuva fora da tenda e também coleta e dispõe fora da barraca a umidade do corpo. o sobre-teto não deve tocar a camada interna, porque aonde ele encostar, a água condensará por dentro.

O sobre-teto deve vir até bem próximo do solo para cobrir toda a barraca e a entrada, evitando a chuva dirigida pelo vento. Mesmo em barracas com parede dupla, o saco de dormir pode molhar por causa da condensação proveniente da parte impermeável das laterais que sobem do piso em alguns modelos.

Um importante passo para manter a barraca seca é selar as costuras com um produto selador impermeável. Faça isto antes de usar a barraca. Algumas barracas vêm seladas de fábrica; em outras, isto compete a você e é bom que seja feito. Ao acampar, arme a barraca sobre um pedaço de nylon ou plástico, para evitar que a umidade do solo entre pelo piso. Este procedimento serve também para manter o piso limpo e protegido contra a abrasão.

Resistência – Muitas barracas são classificadas por um “fator de resistência relativa”, a velocidade do vento que a barraca permanece de pé antes que a armação deforme. Se você espera ir de encontro ao vento e neve, esta é uma importante consideração. A barraca deve ficar de pé com ventos fortes e cargas de neve sem falhas estruturais.

Peso – Normalmente não há escolha: pouco peso ou mais conforto e durabilidade. Barracas leves são disponíveis mas a questão é se elas são grandes e resistentes o suficiente para os seus usos particulares. Simplesmente procure por uma barraca leve que satisfaça suas solicitações de número de ocupantes, área principal, tamanho do piso, altura do teto, local para armazenar equipamentos, resistência, clima e condições atmosféricas indicados.

Uma barraca para duas pessoas acamparem no verão pode ser leve, enquanto uma barraca para três pessoas, para expedições em quatro estações pode pesar o dobro ou mais e custar duas ou três vezes mais.

Forma – A tendência nas formas de barracas têm sido o túnel e iglu. Estes modelos aproveitam ao máximo o espaço disponível e minimizam o número de estacas e extensores.

As do tipo iglu não precisam de extensores para permanecerem em pé e podem ser levantadas e removidas facilmente mas ainda necessitam ser estacadas no chão para não serem carregadas pelo vento. As barracas tipo túnel de dois ou três arcos, normalmente precisam de extensores para ficarem em pé, oferecem um uso eficiente do espaço e tem características que não deixam passar o vento. O tradicional desenho em A (barraca canadense) não tem muito espaço utilizável, mas é simples, com modelo aprovado.

Tamanho – A barraca de dois lugares é provavelmente o tamanho mais popular e oferece a maior flexibilidade em peso e locais de acampamento. Para a versatilidade de um grupo, normalmente é melhor levar duas barracas para duas pessoas do que uma para quatro pessoas. Muitas barracas de dois lugares suportam três pessoas apertadas e ainda são leves o suficiente para serem usadas por uma só pessoa ocasionalmente.

Algumas barracas de três e quatro lugares são leves o suficiente podendo ser carregada por duas pessoas que desejem bastante luxo e conforto. Barracas grandes, especialmente aquelas que se pode ficar em pé dentro, são um grande incentivo à moral do grupo durante uma expedição ou longa tempestade. Para carregar pode-se dividir o peso entre o grupo dividindo a barraca em partes.

Cores – Barracas com cores quentes como, amarelo, laranja e vermelho são vibrantes se você está preso dentro, além de tornar mais fácil a visualização ao voltar para o acampamento. Por outro lado, tonalidades mais suaves harmonizam-se com a paisagem. Uma coisa desagradável: as cores suaves podem se camuflar tão bem que você terá problemas para achar o acampamento.

Outras características – Modelos diversos de entrada oferecem portas com zíper, alcovas, vestíbulos e avancês. Compare tais modelos para encontrar um que, na sua opinião mantenha fora a maioria da chuva e neve ao entrar e sair da barraca. Um vestíbulo pode ser ótimo para cobrir a entrada e dar mais espaço para guardar o material, cozinhar e se vestir. Existem muitas opções de arranjos e tipos de aberturas de ventilação e janelas. Telas contra mosquitos podem ajudar a manter fora os roedores, assim como moscas e outros insetos voadores.

Alguns outros cuidados são importantíssimos para a manutenção de sua barraca. A vida útil dela depende de fatores como:

  • Evite cozinhar dentro da barraca, especialmente com fogareiros de benzina. Fumaça, combustível derramado e chamas altas são perigo de fogo. A asfixia é particularmente perigosa em barracas fechadas, em combinação com a cobertura de nylon estanque e vapores da cozinha. Cozinhar dentro da barraca também aumenta consideravelmente a condensação interna.

    Se você precisar cozinhar dentro da barraca, faça-o no avance ou vestíbulo. Buracos de ventilação bem colocados podem diminuir o risco. Acenda sempre o fogareiro do lado de fora e use um isolante embaixo do fogareiro uma vez que ele esteja dentro;

  • Limpeza e cuidados – A sua barraca lhe dará muito mais bons anos de serviço se você, antes de guardar, secá-la bem, após cada viagem. Para limpar a barraca, molhe-a com uma mangueira ou lave-a com sabão suave e água. Esfregue vigorosamente as manchas com espuma ou escova. Não coloque a barraca na máquina de lavar nem na secadora. Temperaturas elevadas ou a prolongada exposição ao sol são prejudiciais ao material da barraca.

    Existem ainda duas possibilidades de abrigo. São elas:

    Toldos – Um toldo é leve, custa pouco e pode oferecer uma adequada cobertura (fig. 3-2) contra tudo, com exceção de condições extremas nas florestas em baixa altitude e entre arbustos. Ele proporciona menos proteção contra a perda de calor e o vento, do que uma barraca, e nenhuma contra insetos e roedores, além de requerer um pouco de habilidade da sua parte e alguma cooperação da paisagem para armá-lo.

    Toldos plásticos não agüentam muito, mas são baratos e podem ser repostos com freqüência. Toldos de nylon resinado vêm com ilhoses reforçados nas pontas e laterais para uma fácil armação. Se o seu toldo não possui ilhoses, costure laços permanentes de nylon antes de usá-lo. Alternativamente, você pode amarrar em cada canto (fig. 3-3) uma pequena pedra ou pinha. Tenha junto algumas cordinhas para esticar o toldo e talvez colocar algumas estacas.

    Um toldo versátil mede 2,5 x 3,5 metros, e é um luxuoso espaço para duas pessoas e seus equipamentos, sendo adequado para três pessoas e até quatro. Um toldo de 3,5 x 4,5 metros abrigará quatro pessoas confortavelmente. Visto que as bordas de fora do toldo que vão até o chão quase não dão proteção, o espaço utilizável é quase inexistente se o seu toldo for menor do que 3 x 4 metros.

    Coloque no chão uma proteção impermeável, mas se a chuva resultar em uma inundação inesperada, esteja pronto para mudar o acampamento. Um toldo não pode ser usado como uma coberta porque a transpiração condensará por dentro do material impermeável deixando você úmido.

    Saco de Bivaque – Para viagens alpinas super leves, o saco de bivaque é usado no lugar de uma tenda protegendo do vento e chuva. O saco é um grande envelope tecido. A parte de baixo normalmente é feita de nylon resinado impermeável e vai por cima do isolante térmico.

    A parte de cima é feita de um material transpirante, como Gore-Tex, permitindo que a umidade escape para a atmosfera. O saco de bivaque é desenhado para uma pessoa. Duas em caso de emergência. Não precisa de armação ou estacas, mas normalmente possui um laço forte para ancoragem e pode ser usado sozinho ou com um aquecimento extra, como o saco de dormir.

    Este texto foi escrito por: Webventure

    Last modified: outubro 3, 2000

  • Redação Webventure
    Redação Webventure