Foto: Pixabay

Atletas comparam rali do Mitsubishi Outdoor com suas especialidades

Redação Webventure/ Montanhismo, Offroad, Vela, Voo Livre

Atletas levaram diferentes experiências para o rali (foto: Pedro Sibahi / Webventure.com.br)
Atletas levaram diferentes experiências para o rali (foto: Pedro Sibahi / Webventure.com.br)

A equipe mais inusitada da etapa final do Mitsubishi Outdoor 2012, realizada no último sábado (24), em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, teve atletas de diversas modalidades com montanhismo, surfe, vela, automobilismo e até um multiesportista, além de mais dois amantes do mundo das quatro rodas. Eles enfrentaram uma prova que mistura pilotagem off-road, navegação e atividades de aventura durante cinco horas de competição.

Os integrantes exploraram uma área de 750 quilômetros quadrados, passando pelas cidades de Altinópolis, Santo Antônio da Alegria, São Sebastião do Paraíso e Itamoji. Durante o percurso, era necessário passar por diversos pontos de controle para carimbar o passaporte. Em alguns PC’s, eles também realizam pequenas provas de MTB, trekking e bóia cross.

O montanhista Rodrigo Raineri, que já subiu ao topo do Everest por duas vezes e agora planeja alcançar o cume da montanha para saltar de parapente, foi um desses aventureiros. A afinidade com navegação por mapa ajudou o atleta, que se divertiu na nova empreitada.

“Foi bacana, eu sempre gostei de mapas e orientação, assim como voar. Eu gosto de ver o mundo de cima, fui vice-campeão de balonismo como navegador”, contou o montanhista, que elogiou a escolha de Altinópolis para a realização da prova. “Eu já conhecia aqui, visitei o Morro da Mesa e algumas cachoeiras, o lugar é maravilhoso, imperdível, e a bordo de um 4×4 da Mitsubishi é mais gostoso ainda.”

Para Felipe Maluhy, piloto de Stock Car que revezou o volante com o surfista Carlos Burle, o maior desafio foi não acelerar. “Nessas cinco horas de rali é difícil não ultrapassar o limite de velocidade imposto pela prova. Sempre cometemos alguns erros no percurso e não podemos compensar no tempo”, explicou.

Outro atleta que tinha experiência em automobilismo, entre muitos outros esportes, era Formiga, que possui um kart. “Eu nunca tinha pilotado em rali, nem nesse formato especial. Achei muito interessante, os lugares visitados foram simplesmente incríveis”, comentou, acrescentando que o trabalho em equipe também contribui com a diversão.

Formiga, que atualmente se prepara para virar piloto de voo à vela, comparou a navegação off-road com a aviação. “Aqui aprendi que as habilidades necessárias para um rali funcionam muito em outras modalidades na qual temos mais domínio. É preciso estar muito atento com a navegação. Nas atividades aéreas existe uma terceira dimensão, mas funciona igual: a utilização de GPS e o posicionamento em relação ao planeta”, destacou.

Já o velejador Beto Pandiani, acostumado com roteiros mais contínuos no mar, não teve como transpor muito sua experiência náutica para o rali, mas representou o time pedalando. “Na vela é preciso ter preparação aeróbica também, precisa praticar esportes coletivos, correr ou pedalar. Eu gosto de atividades que têm o brinquedo”, contou. “Ando de bike há muitos anos, fiquei um tempo parado e voltei, é uma super atividade. O trecho de prova foi bem técnico com bastante pedra, era fácil cair, mas gostei”, avaliou.

A dupla formada por Jeff e Flávio, sorteada em uma promoção da Mitsubishi, completou o time e se divertiu com a equipe. “Foi muito gratificante estar na presença da galera. Todos são feras em outros tipos de esporte, foi uma experiência muito bacana”, disse Flávio. Para Jeff, “foi algo novo para todo mundo, pois eles são experientes em outros esportes. Além da diversão, conhecemos os atletas e aprendemos dicas sobre as áreas que são especialistas.”

Este texto foi escrito por: Da Redação

Last modified: novembro 28, 2012

Redação Webventure
Redação Webventure