Foto: Pixabay

“Família poeira” participa do rally com pai e três filhos entre os competidores

Arquivo/ Offroad, Sertoes

O sobrenome Varela já é velho conhecido de quem curte o Rally dos Sertões. A fama vem primeiro por causa de Reinaldo Varela, piloto da categoria carros há 30 anos, e segundo por causa da família inteira.

O clã Varela é composto por Reinaldo e seus filhos. O grupo já está presente há anos no maior rally off road do Brasil. O filho mais velho, Rodrigo, e o do meio, Gabriel, já são competidores experientes nos Sertões e esse ano serão acompanhados pelo caçula Bruno.

“O Bruno sempre foi tarado por velocidade e sempre andou de quadriciclo, mas teve que esperar fazer 18 anos e ter carta de motorista para correr”, conta Gabriel.

Mesmo enquanto não podia pilotar na competição, o mais novo dos irmãos estava sempre presente. “Eu fiz cinco Rally do Sertões como apoio e é o meu primeiro correndo. Estou muito ansioso”, afirma Bruno.

O amor da família pelo off road começou até mesmo antes dos meninos nascerem. O pai e a mãe se conheceram em um rally e os filhos praticamente cresceram na velocidade. “Eles cresceram nesse mundo e escutaram tudo, então acho que consegui passar para eles a parte boa do esporte”, conta o pai com um sorriso no rosto. “Eu e a Nani sempre nos preocupamos muito para eles não seguirem caminhos piores, então fico muito satisfeito de ver a paixão deles por isso aqui”, completa.

Nani Varela é a mãe dos pilotos e da equipe. E quem imagina o quanto é difícil não sofrer de preocupação com marido e filhos correndo, pode aprender o segredo dela. “Eu tenho que estar aqui, acho que sou a única mulher que veio em 95 por cento das edições. Não aguento ficar em casa pensando, eu preciso estar atrás porque o mundo deles é esse aqui.”

Varela e sua trupe. Foto: Vinicius Branca/ Webventure Varela e sua trupe. Foto: Vinicius Branca/ Webventure

Além de atuar no apoio da equipe da família , a Divino Fogão Rally Team, Nani tem mais um papel importante: o de tirar os homens da família desse mundo por alguns minutos, ou pelo menos tentar. “O rally dentro de casa são todos os dias e em todos os jantares, não tem essa de falar de futebol ou de times, é só rally”, explica Gabriel. “Então quando minha mãe está nos jantares ela até tenta mudar um pouco o foco do assunto, mas não consegue e sempre voltamos a falar de corridas.”

E além de comentar as corridas do mundo inteiro e trocar informações sobre os veículos, o que também não falta é competição interna entre os três. Segundo Gabriel, eles sabem que quem é mais rápido merece ganhar, mas garante que a vontade existe. “A gente fala que não tem competição, mas sempre tem, sempre um quer ficar na frente do outro. Mas é uma disputa bem saudável, nunca houve nenhuma briga.”

“Eles tiram sarro um do outro no Whatsapp o dia inteiro, no jantar, no café da manhã e à noite antes de dormir. Não tem como evitar isso”, entrega a mãe. Mas junto com as brincadeiras vem muito apoio e ajuda. “É muito bom ter a família aqui, são as melhores pessoas que você tem para conversar, tirar dúvidas e ás vezes desabafar um pouco”, explica Rodrigo.

Dúvidas, dicas e, às vezes, broncas do pai. “Se a gente não faz algo do jeito que meu pai quer já sabemos que vamos levar bronca, seja em casa ou aqui no rally”, afirma o do meio. Broncas que vêm acompanhadas de muita satisfação e bastante cobrança. ”Com o Bruno aqui, o nosso grid está completo, estou muito feliz. Agora tem que esperar o resultado deles, vamos ver se vão bem. O objetivo é que todos subam no pódio, vamos ver se vai dar certo”, comenta Reinaldo.

Este texto foi escrito por: Isabela Rios

Last modified: agosto 2, 2015

Arquivo