Thierry Neuville (BEL) realiza durante o Campeonato Mundial de Rali da FIA 2017 em Leon, no México, em 11 de março de 2017. | Foto: Jaaanus Ree / Red Bull Content Pool

Muy loco! Red Bull TV exibe a prova mais maluca do ano: o Rally do México

Etapa mexicana é tradicionalmente marcada por situações bizarras, já teve piloto colocando cerveja no radiador pra completar o rali.

Pode ser a altitude, o excesso de pimenta na comida, as tequilas nas horas de folga, ou o calor infernal. Mas o fato é que o México possui uma das etapas mais ‘carisma’ de todo o calendário do WRC. É lá que tudo acontece. No ano passado, por exemplo, Kris Meeke tinha a vitória nas mãos quando despencou em um estacionamento, faltando menos de 1 km pra bandeirada. Como a vantagem era boa – e ele milagrosamente não atingiu nenhum carro – ainda conseguiu voltar pra trilha e venceu o rali.

Thierry Neuville (BEL) realiza durante o Campeonato Mundial de Rali da FIA 2017 em Leon, no México, em 11 de março de 2017. | Foto: Jaaanus Ree / Red Bull Content Pool

Thierry Neuville (BEL)  durante o Campeonato Mundial de Rali da FIA 2017 em Leon, no México, em 11 de março de 2017. | Foto: Jaaanus Ree / Red Bull Content Pool

É esse tipo de imprevisibilidade que torna o Rally do México tão atraente. A edição de 2018 será disputada neste fim de semana, de quinta a domingo, tomando como base a cidade de León, a 400 km da capital Cidade do México. A Red Bull TV vai mostrar cada detalhe da prova por meio de um programa especial diário no formato on demand (disponível sempre a partir da 1h da madruga no Brasil). No sábado, tem transmissão ao vivo de uma especial, a partir das 13h45.

Sebastien Ogier (FRA) durante o Campeonato Mundial de Rali 2017 da FIA em Leon, no México, em 11 de março de 2017. | Foto: Jaanus Ree / Red Bull Content Pool

Sebastien Ogier (FRA) durante o Campeonato Mundial de Rali 2017 da FIA em Leon, no México, em 11 de março de 2017. | Foto: Jaanus Ree / Red Bull Content Pool

Mas voltando às doideiras históricas do México, dá pra traçar quase uma linha do tempo. Em 2016, Sébastien Ogier passou perto de atropelar um rebanho de vacas, soltas no meio da trilha. Alguns anos antes, em 2014, Thierry Neuville completou a prova colocando cerveja no carro pra rodar. Isso mesmo: cerveja!

Neuville já havia terminado as especiais cronometradas e estava voltando ao parque de apoio (o chamado deslocamento, que é obrigatório para confirmar o resultado) quando sofreu um furo no radiador. A cerveja que ele tinha no carro era um prêmio da Corona, patrocinadora do evento, pelo terceiro lugar que haviam acabado de conquistar.

O piloto belga consertou o furo no radiador e, como não havia mais líquido de arrefecimento, sua única alternativa foi despejar cerveja no reservatório. Acredite: deu certo. Eles conseguiram percorrer os 33 km que faltavam para o parque de apoio, e puderam celebrar.

Circuito Night Run – Etapa Fortaleza. Inscrições abertas, vem!

Em 2005, o francês Sebástien Loeb sofreu um dano severo na roda traseira direita e teve de improvisar para chegar ao parque de apoio (equivalente aos boxes). Como se estivesse em um barco a vela, o navegador monegasco Daniel Elena resolveu sentar na janela do motorista, para fazer contrapeso e permitir que o carro continuasse andando. E fez isso por todo o trajeto, inclusive nas estradas abertas ao trânsito, que precisou pegar. Adivinhe o que aconteceu? Obviamente foram parados pela polícia. Mas depois de uma longa conversa, os guardas mexicanos cederam e trocaram a multa por uma escolta ao piloto e ao navegador rumo ao parque de apoio.

Valeriy Gorban (UKR) atua durante o Campeonato Mundial de Rali 2017 da FIA em Leon, no México, em 11 de março de 2017. | Foto: Jaanus Ree / Red Bull Content Pool

Valeriy Gorban (UKR) atua durante o Campeonato Mundial de Rali 2017 da FIA em Leon, no México, em 11 de março de 2017. | Foto: Jaanus Ree / Red Bull Content Pool

E em 2018? O que será que vem pela frente?

Um dos atrativos do Rally do México é colocar os pilotos em situações absolutamente diferentes do que eles já experimentaram neste ano. A primeira etapa foi o Rally de Monte Carlo, disputado no asfalto, em janeiro. Depois, veio a Suécia, com os carros andando na neve, em fevereiro. As duas provas com um frio de lascar.

Agora, a turma chega ao México, onde encaram temperaturas de 30ºC e aceleram no cascalho.

Este é também o rali ‘mais alto’ do campeonato: durante a especial El Chocolate, na sexta-feira, os carros vão chegar a 2737 metros de altitude em relação ao nível do mar. Fora o desafio físico do ar rarefeito, tem a perda de potência do motor nessas condições, que pode chegar a 20% (exigindo uma pilotagem mais ‘limpa’, sem erros).

O RALLY DO MÉXICO NA RED BULL TV

No sábado de madrugada (10), 01h00

30 min com os melhores momentos do dia

No sábado à tarde (10), 13h45

Programa especial de 1h30 incluindo a exibição de uma especial ao vivo

No domingo de madrugada (11), 01h00

30 min com os melhores momentos do dia

Na segunda de madrugada (12), 01h00

30 min com os melhores momentos do dia

Last modified: março 12, 2018

Redação Webventure
Redação Webventure