Warning: getimagesize(http://www.webventure.com.br/wp-content/uploads/2017/02/foto_2105_2001-04-12_grande.jpg): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 403 Forbidden in /home/webventurecombr/public_html/wp-content/themes/designed/functions.php on line 1297
Foto: Pixabay

Lanterna: item básico, mas importantíssimo

Lanterna com imã  para grudar na lataria do carro (foto: Arquivo Webventure)
Lanterna com imã para grudar na lataria do carro (foto: Arquivo Webventure)

A lanterna é um item básico, por isso considerado banal, mas sem dúvida importante. Uma boa iluminação garante o conforto e a segurança em situações que se tornariam críticas sem o equipamento.

Não só para o off-road, mas para qualquer excursão noturna. Casos típicos: Para ver os furos de fixação da roda na troca de um pneu à noite. No caso de uma bateria descarregada, para fazer uma “chupeta” sem encostar os cabos onde não se deve, deixando de correr o risco de provocar faíscas, que podem até resultar num princípio de incêndio. Já me vali de lanternas nas duas situações e posso garantir que facilitam em muito essas operações.

No off-road, três tipos adicionais podem ser utilizados : 1 – O que se encaixa no acendedor de cigarros ; 2- O que pode ser conectado diretamente aos pólos da bateria ; 3 – O que possui um imã para ser afixado na lataria do veículo , deixando as mãos livres para tarefas como trocar um pneu, armar uma barraca, fazer uma ponte ou remover um obstáculo.

Entre os tipos alimentados pela bateria do veículo, dê preferência ao que se encaixa na tomada do acendedor, evitando o risco de choques ao manusear fios conectores junto à bateria. Além de mais seguro, é mais simples, portanto mais rápido e confortável. Para ter as mãos livres, pode-se optar pelas lanternas usadas em volta da cabeça, em que o facho é direcionado de acordo com a rotação do pescoço.

Entre as “comuns”, as chamadas “de mão”, há as que têm uma alça para evitar quedas, e as mais simples, sem a alça, que permite utilizar as duas mãos para se apoiar em locais de difícil locomoção, por exemplo.

Há as mais sofisticadas, à prova d’água (ideais para os temporais de verão), mas não tão garantidas quanto uma lanterna de mergulho , submergível. Essa , sim não terá problemas com umidade ou infiltração de água ou poeira.

Peso & Consumo – Qualquer que seja o modelo escolhido , deve-se dar atenção ao peso. Quanto mais leve, melhor. E, observar o tamanho e a quantidade de pilhas (é como escolher entre um carro 1.0 e um V 12). As pilhas nem sempre precisam ser alcalinas, mas têm que ser todas do mesmo tipo, e de preferência antes de cada aventura , expedição ou viagem devem estar novas. Pilhas de reserva são recomendáveis. No caso das lâmpadas ou lanternas conectadas à bateria, deve-se providenciar um soquete bipolar para a utilização conjunta com celular ou GPS, por exemplo. De qualquer forma deve-se evitar consumir a carga da bateria, deixando o motor em funcionamento, se possível.

Como manter – Deixe a lanterna protegida por alguma embalagem, evitando sujeira e riscos na lente. Entre uma aventura e outra, retire as pilhas, e deixe-as junto da lanterna. Separe de forma clara pilhas já usadas de pilhas novas.

No caso das que possuem fio (alimentadas pela bateria) não dobre os fios. Enrole-os. Evite molhá-los.

Onde encontrar – Nas seções automotivas dos grandes híper ou super-mercados, lojas de artigos para caça e pesca, lojas de artigos esportivos. De acordo com a qualidade e procedência, há boas lanternas a preços acessíveis.

Luciano Dellarole é jornalista especializado em automóveis. Já participou de competições conduzindo motores movidos à álcool, diesel e gasolina, de dois ou quatro tempos, com tração dianteira, integral ou traseira. Organiza passeios off-road com roteiros light com frequência mensal.

Este texto foi escrito por: Luciano Dellarole, especial para o Webventure

Last modified: julho 26, 2000

Redação Webventure
Redação Webventure