Home / Conteúdo / Notícia

Notícias

Por Bruna Didario | 28/10/2009 - Atualizada às 16:58

Expo Bike Brasil mostra novidades do segmento para 2010

  • Specialized aposta nas bikes aro 29 Crédito: Bruna Didario/ www.webventure.com.br
  • Merida tem a bicicleta mais leve na exposição Crédito: Bruna Didario/ www.webventure.com.br
  • Liga de carbono é o diferencial da Fuji Crédito: Bruna Didario/ www.webventure.com.br
  • Teste da nova suspensão da Proshock, a Onix Crédito: Bruna Didario/ www.webventure.com.br

Em sua terceira edição, a Expo Bike Brasil, realizada no Centro de Exposições Frei Caneca, em São Paulo, reúne as principais marcas de bicicletas, equipamentos e conjuntos do país. Os representantes têm espaços para reuniões, exposição de novidades e também para palestras. Confira abaixo as novidades do mountain bike para 2010:

Specialized
A aposta da marca são as bicicletas para mountain bike aro 29, que dão estabilidade e melhor dirigibilidade. Os modelos para 2010 com o maior aro serão a Epic, RockHopper e StumpJumper (full suspention, indicada para iniciantes na modalidade), linhas que já se encontram no mercado. As bikes terão suspensão nas duas rodas e são mais rígidas, dedicadas aos interessados em fazer trilhas e provas cross-country, pois a velocidade não é um dos seus pontos fortes. A marca tem vários modelos dentro das linhas, com preços que podem variar de R$ 4 mil a R$ 18 mil.

Merida
A Merida, após o sucesso da 96 (Ninety-six), fez noveos investimentos para baixar o peso da bike da marca e conseguiu. O lançamento para o próximo ano será a O-Nine, que leva este nome por conta do peso do quadro: 930 gramas, uma das mais leves do mercado. A peça foi fabricada em carbono, com reforços na estrutura que permitem paredes internas mais finas, tornando a bike leve. Montada, a bicicleta pesa em torno de 8,6 quilos. A equipe internacional da marca já usa o modelo em campeonatos no exterior e o feedback dado está relacionado ao conforto e a performance.

A Ninety-six passou por uma pequena mudança e será “relançada” para 2010. A bike, que foi lançamento da Merida em 2009, terá uma troca no movimento central, que permite uma peça mais leve. A bike, no total, pesa 8,9 quilos.

Fuji
Seguindo a linha lançada em 2009, a Fuji fez uma inovação que será colocada no mercado em 2010. A SLM Limited é feita com uma liga de carbono, a C10 (desenvolvida pela própria marca), com canote integrado. É uma bike conceito de marca, com peso de 8,9 quilos, uma das mais leves do mercado, perdendo apenas para o lançamento da Merida. A bike deve custar em torno de 29 mil reais e é voltada para a alta performance.

Sundown
A linha Sundown 2010 apresenta duas novas bikes que fogem do conceito mountain bike: a Wave e Califórnia. As bicicletas elétricas possuem todos os equipamentos de uma bike normal, como o sistema de câmbio com 21 marchas, mas as alterações são no cubo da roda, onde está o motor com potência de 250 watts; e no porta-objetos traseiro, onde se encontra a bateria, que pode durar distâncias de até 20 quilômetros, podendo ser recarregada em qualquer tomada. O custo é de, aproximadamente, R$ 2 mil.

SRAM
Uma das marcas de conjuntos mais utilizadas pelos bikers terá uma novidade em 2010: o grupo XX (Double X). O grupo possui 20 velocidades, com trava hidráulica na suspensão, que é de carbono. A outra linha da marca é a XTR, que foi superada pelo lançamento.

Os diferenciais são as 20 marchas, uma das tendências do mercado atual. O cassete é feito com um bloco de aço usinado, e a última coroa é de alumínio que, por conta do desgaste, pode ser trocada facilmente. Possui um passador específico menor, por ter mais velocidades e é feito em carbono (alavanca e tampa). Peso total é de 2,3 quilos, e só a suspensão tem 1,4 quilos.

Proshock
A suspensão Ônix é a inovação da Proshock para 2010. Com sistema diferenciado, o equipamento promete peças leves e de fácil manejo. Um dos lados da suspensão é Dual Air, com câmara positiva e negativa, e o outro lado hidráulico, com retorno independente da trava e trava no guidão.

Todo o sistema passa por dentro da haste, o que evita qualquer quebra, vazamento de óleo ou de ar. “Tem uma vasta área de regulagem: compressão (podendo deixar a suspensão mais macia ou mais dura) e a parte hidráulica, que muda a velocidade que a suspensão retorna, ou o acionamento no guidão”, explicou o engenheiro César Tonoli.

Comentários

Publicidade

Publicidade