Foto: Reprodução Facebook/Erik

Perfil aventura: conheça o único cego a escalar as montanhas mais altas do mundo

Erik Weihenmayer nasceu em 23 de setembro de 1968 e é um atleta americano, aventureiro, autor, ativista, palestrante motivacional e o primeiro cego a chegar ao cume do Monte Everest, em 25 de maio de 2001. Por esse feito, ele foi homenageado com uma história de capa do Time Magazine . Também completou as “Seven Summits” (as montanhas mais altas dos sete continentes) em setembro de 2002, juntando-se a 150 alpinistas na época que realizaram essa façanha, mas como o único cego.

Foto: Sua deficiência não o impede de realizar nenhuma atividade Reprodução Facebook/Erik Weihenmayer

Foto: Sua deficiência não o impede de realizar nenhuma atividade Foto: Reprodução Facebook/Erik Weihenmayer

Ele ficou cego aos 13 anos, no entanto este evento nunca realmente limitou sua vida. O alpinista é um daqueles raros indivíduos que não apenas conseguiram superar uma deficiência, mas sim vivem como se ela nunca tivesse acontecido. À medida que Weihenmayer estava perdendo a visão, devido a retinosquise juvenil, lutou contra o uso de bengalas e aprendeu o braille. Ele queria continuar sua vida em um mundo que enxergasse as coisas.

O aventureiro finalmente se voltou para a luta livre e tornou-se muito engajado nisso durante o ensino médio. Chegou a representar Connecticut no National Junior Freestyle Wrestling Championship em Iowa. Aos 16 anos, começou a usar um cão-guia. Depois, passou a frequentar o Boston College e se formou com uma dupla especialidade em inglês e comunicação, assim se tornou um professor na escola secundária na Phoenix Country Day School.

Ainda dá tempo de se inscrever na Corrida de Verão – Circuito Petrobahia!

O escalador se formou na faculdade em 1993 e logo, se tornou professor. Foi nessa época que começou a escalar e fazer trekking. Rapidamente se tornou bom nisso. Alcançou o cume do Monte McKinley (o pico mais alto dos EUA) e, em seguida, o do Kilimanjaro (mais alto da África). A primeira grande montanha de Weihenmayer foi Denali, em 1995. Em 2004, com Sabriye Tenberken e seis adolescentes cegos tibetanos, ele subiu no lado norte do Everest até 21.500 pés, mais alto do que qualquer grupo de pessoas cegas. Um documentário baseado no projeto, Blindsight , foi lançado em 2006.

Em 25 de maio de 2001, Weihenmayer tornou-se a primeira pessoa cega a alcançar o cume do Monte Everest. Por essa façanha, foi homenageado com uma história de capa da revista Time Magazine. Em 2008, Weihenmayer também adicionou Carstensz Pyramid em Papua Nova Guiné Ocidental, o pico mais alto da Austrália e Ásia, completando assim a Sétima Cúpula e a mais respeitada.

Foto: Reprodução Facebook/Erik

Ele já escalou as maiores montanhas do mundo Foto: Reprodução Facebook/Erik Weihenmayer

Em 2006, Erik criou o Adventure Team Challenge, uma corrida de aventura de primeira classe em que competem equipes de atletas com algum tipo de deficiência e seu time ganhou cinco anos seguidos. Em 2010, ele completou a corrida de bicicleta de montanha Leadville 100, com elevações acima de 10.000 pés, em conjunto, tornando-se mais uma vez a primeira pessoa cega a completar uma competição de classe mundial. E em 2011, o Team No Limits de Erik correu pelos desertos e as montanhas de Marrocos por um mês, terminando em segundo lugar no ABC reality show Expedition Impossible. Ele também completou Primal Quest, uma corrida de aventura acima de 460 milhas com 60.000 pés de aumento de altitude.

Além de ser um aventureiro e palestrante mundialmente famoso, Weihenmayer também é autor do livro, Tocando o topo do mundo: A jornada de um homem cego para escalar além de onde o olho pode ver, que foi publicado em doze países e nove línguas. O livro foi transformado em um filme da A & E e lançado em DVD pela Sony.

O segundo livro de Weihenmayer, As vantagens da adversidade, compartilha lições e conselhos práticos para usar a adversidade como combustível para o crescimento e a inovação. Seu último lançamento, Sem barreiras, a jornada de um homem cego de caiaque pelo Grand Canyon, foi publicado em 2017. É o segundo livro de memórias de Weihenmayer e narra sua descida inovadora do Grand Canyon.

Last modified: dezembro 12, 2017

Gabriel Gameiro
Gabriel Gameiro
Estudante de jornalismo, que caiu no mundo dos esportes por acidente e com o tempo aprendeu a amar. Gosta do que faz e apesar de ainda não ser um corredor ama fazer spinning e cobrir corridas.