Foto: Pixabay

Crise no Nepal pode afastar aventureiros

O Nepal, uma das principais rotas usadas por aventureiros para chegar às maiores montanhas do planeta, está vivendo em clima de terror. O país passa por um momento de instabilidade depois que o príncipe Dipendra assassinou o rei Birendra, a rainha e mais oito membros da família real. Por conta disso, duas grandes operadoras de trekking americanas, a Geographic Expeditions e a Mountain Travel-Sobek, decidiram dar uma pausa nas viagens e expedições programadas para passar pela região.

Além disso, o Departamento de Estado americano fez, na última segunda-feira, um alerta para que cidadãos americanos não visitem a região nos próximos meses. O motivo citado foi a incerteza em relação à segurança destes turistas no Nepal.

Desde o assassinato da família real, e o suicídio do príncipe Dipendra, crescem os protestos em frente ao palácio real, em Kathmandu, capital do país. A polícia tem enfrentado diariamente os manifestantes, usando bombas de gás lacrimogêneo.

A torcida das operadoras de turismo da região é de que os conflitos sejam amenizados o mais rápido possível para que a próxima temporada , que se inicia em Setembro, possa ser aproveitada. Segundo estimativas, aproximadamente 150.000 trekkers de vários lugares do mundo passam pelo Nepal todos os anos.

Este texto foi escrito por: Debora de Cassia

Last modified: junho 6, 2001

Arquivo