Foto: Pixabay

A importância de preservar as boas práticas outdoor e o valor dos clubes de montanhismo

Gabriela Saliba/ Vida ao Ar Livre

Foto: Paulo Victor Penna

Foto: Paulo Victor Penna

“Os clubes de montanhismo tem uma importância ímpar para a preservação da história do esporte, prevenção de acidentes e orientação para os novatos. Os recentes acidentes da última temporada de montanhismo no Brasil nos fazem refletir a respeito da importância dos clubes, tanto quanto a busca de profissionais qualificados quando decidimos fazer uma atividade outdoor.”

Temos hoje diversos clubes e federações espalhados por todo o país, e ,essas instituições estão preparadas para orientar e guiar entusiastas dos esportes de montanha. Eles oferecem cursos básicos e avançados, excursões incríveis a pé, escalando e de bicicleta.

Vale ressaltar que guiar uma aventura Outdoor envolve não apenas saber o caminho de ida e retorno, mas também conhecimento de diversos outros temas como: primeiros socorros, orientação espacial, logística, previsão do tempo, impactação ambiental, dentre outros.

“Todas as informações necessárias para iniciar no montanhismo são encontrados nos diversos clubes que existem. Clubes formados de pessoas voluntárias que fazem todo o trabalho por amor e pelo prazer de ver a disseminação correta do esporte. Além de todo conhecimento técnico e teórico que um clube pode dar, você tem a oportunidade de conhecer pessoas que pensam como você e que tem o mesmo propósito ou objetivo, faz parcerias e cultiva amizades verdadeiras. O montanhismo é um esporte que necessita disso. Dentro de um clube você conhece pessoas que já têm uma certa trajetória, ouve conselhos e aprende com os erros e acertos dos outros. Aprende o porquê de respeitar a natureza e passa a respeitar os próprios limites.” , conta Maicon Rocha sócio do CET, guia profissional de caminhadas, montanhista há 10 anos, diretor social do CET (Centro Excursionista Teresopolitano)

+ Inscreva-se no L’Etape Brasil by Le Tour de France!

Foto: Paulo Victor Penna

Foto: Paulo Victor Penna

” Imaginem se os clubes de montanhismo no Brasil fossem tão fortes quanto são os clubes de futebol ! Não foi o futebol que fortaleceu os clubes, mas sim a prática do esporte é que acabou na criação de clubes. A proliferação deles é que deu a força que o futebol tem no Brasil. Com o montanhismo aconteceria o mesmo. A criação de clubes fortaleceria o esporte. Com maior visibilidade aparecem as instituições interessadas em colaborar, patrocinar ou vincular a sua imagem ao esporte. Naturalmente que haveria uma melhora exponencial na qualidade do montanhismo. Administrar os clubes não é fácil, não é uma tarefa para amadores, mas sim para apaixonados pelas montanhas. Fundar um novo clube e passar a administrá-lo, mais difícil ainda. Passe para frente a ideia de que as pessoas que estão iniciando no esporte devem procurar um Clube de Montanhismo e os montanhistas experientes tem o dever de propagar nos Clubes o seu conhecimento adquirido. Os Clubes são o melhor caminho entre a base e o cume.”

COSMO. Corpo de Socorro em Montanha, uma ONG que se dedica como força auxiliar, à Busca e Resgate de pessoas perdidas e acidentadas na Serra do Mar no Estado do Paraná. Também ministra diversos cursos nesta área com a participação de alunos voluntários e alunos do Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Defesa Civil e do GOST que é uma divisão dos bombeiros especializada em Buscas e Resgates.

“Quem busca o estilo de vida que é o montanhismo, deve procurar uma instituição (clube excursionista) mais próximas de onde mora, assim vai começar da melhor maneira e colaborará com a continuidade dos trabalhos que realizamos. No site da Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada há uma lista completa das entidades filiadas: http://www.cbme.org.br/novo/entidades-filiadas/“,  ressalta Claudney Neves, montanhista, criador do projeto Montanha de Brinquedo, é sócio e foi presidente do Clube Excursionista Light de 2010 a 2014.

Foto: Paulo Victor Penna

Foto: Paulo Victor Penna

Last modified: outubro 5, 2018

Gabriela Saliba
Gabriela Saliba
É montanhista desde 1993, formada em fisioterapia, responsável pela marca Flor no Tacho de culinária saudável. Foi colaboradora de diversas revistas e sites de ecoturismo: Eco2000, Osite, 360 graus, Geosfera Air, Ecoturismo, Néz Adventure, Ecoaventura, Vizoo, Aventura & Ação, Aloha, Ativa. Apresentou o quadro “PARTIU!” no programa STADIUM da TVE-BRASIL onde apresentava os principais points de escalada do Brasil, acompanhada pelos escaladores de maior evidência na época. Seu foco principal é escrever sobre montanhismo e práticas para uma vida outdoor mais saudável. Contato: gabrielafsaliba@gmail.com