Foto: Pixabay

“A briga será pelo terceiro lugar”, diz Júlio Pieroni

Colaborador/ Outros

Uriel Santiago  capitão da Brasil 500 Anos (foto: Lígia Nunes)
Uriel Santiago capitão da Brasil 500 Anos (foto: Lígia Nunes)

Neste terceiro dia de Expedição Mata Atlântica 2000, Brasil 500 Anos e a americana Epinephrine abriram vantagem e prometem lutar até o até o fim pelo primeiro lugar na corrida de aventura da América Latina. “Ninguém mais alcança as duas equipes se elas mantiverem esse ritmo. A briga vai ser pelo terceiro lugar”, aposta Júlio Pieroni, comentarista exclusivo da Webventure (clique aqui para ouví-lo)

Segundo Pieroni, “a corrida entrou numa fase crítica, em que o estado mental e físico começa a piorar, principalmente porque vem aí um trekking difícil, subindo a Serra do Mar, com muita nebulosidade e chuva. É muito fácil se perder.” Por estarem com 10 horas e 7 horas, respectivamente, à frente dos demais times, a Epinephrine e a Brasil 500, acredita o comentarista, não encontraram essas condições climáticas na serra e por isso devem ter ampliado ainda mais a vantagem. No início desta madrugada, os americanos já se aproximavam do rafting (Posto de Controle 18/Área de Transição 4).

Apesar da distância em relação ao adversários, as líderes estão atrasadas em relação ao tempo previsto pelo organizador da prova, Alexandre Freitas. “Elas estão 3 horas atrás do que esperávamos”, disse à Webventure.

Acidente – O dia foi marcado ainda pelo atropelamento da atleta Diana Carneiro, da Insieme (BRA/ITA), num trecho de bike pelo asfalto. Ela foi atingida por um caminhão. “Foi de propósito”, acusou o companheiro de equipe Fernando Cabral. Diana fraturou cotovelo esquerdo em dois lugares e abandonou a prova. Mesmo desclassificados, Cabral e Pedro Kirk seguem na EMA.

Nove equipes estão correndo pela categoria Alternativa, a segunda mais difícil da Expedição Mata Atlântica. “É uma categoria dura também. E nela estão equipes menos experientes, que só haviam passado por provinhas e aqui estão se deparando com desafios nunca vistos”, comenta Júlio Pieroni. “Mas fazer a prova na Alternativa não é nenhum demérito. Todas as equipes estarão tendo uma lição de aventura.”

Tobogã – O rafting no rio Paraibuna vai marcar esta quinta-feira. Ao todo serão 17 km a serem percorridos entre 8 e 8 horas, passando por corredeiras de classe II a IV (essas os atletas não vão descer no bote, mas terão de carregar o equipamento caminhando pela margem, na chamada portagem). Para o experiente Luís Makoto Ishibe, na Adventure Gear – que ainda está na categoria Expedíção – é neste quarto dia que “a EMA vai começar. Muita gente vai quebrar e será hora de tentar alguma coisa”.

A Webventure realiza a cobertura on line e oficial da EMA 2000 com apoio de Ford, Timberland e By.

Este texto foi escrito por: Luciana de Oliveira

Last modified: fevereiro 21, 2017

Colaborador